Dia dos namorados…

11/06/2016 by Alisson Eloi in Textos

Entre as datas comemorativas, o dia dos namorados é uma das mais cretinas. Claro que datas comemorativas são todas meio cretinas (tirando aniversário, porque pelo menos uma vez no ano eu amo ser paparicado), mas o dia dos namorados quase beira ao fracasso. Poderiam ter inventado um dia que se comemora o amor universal, um amor de todas as formas possíveis, entre vários tipos de pessoas.

Mas pra mim, o dia dos namorados é completamente cretino porque grande parte das pessoas que não está namorando, está se sentindo completamente na merda nesse momento. E a outra grande parte está expondo um sentimento que não vive… E a grande questão é: Por quê? Claro, é super legal estar apaixonado. Juro, eu amo me apaixonar! Mas por que a gente não assume e tenta perceber que não estar apaixonado também é igualmente legal? E a resposta obviamente não é “ah, melhor ficar solteiro. Posso fazer o que eu quiser”- Você pode muito bem estar namorando e ser completamente livre pra fazer o que quiser, completamente livre para viajar e fazer seus planos individuais… contanto que você namore uma pessoa que lide bem com isso (sim, existem várias que aceitariam suas propostas). “ah, namorar é muito complicado” – então arrume um namoro que não seja. Você acha complicado a sua relação com seu melhor amigo? Provavelmente não…

E o dia dos namorados em nossa sociedade idiota é mais cretina ainda por alimentar essa cultura onde apenas o outro te completa, o outro é sua vida, o outro, sempre o outro. E a gente fica nesse ciclo vicioso de querer estar namorando, mas quando namora, sofre e acha complicado demais. Como se ficar sozinho fosse um fardo que foi dado a você. Já fiquei sozinho um tempo da minha vida, levei pé na bunda e dei pé na bunda, mas e aí? E o que quer dizer um relacionamento dar certo? Casar? Pra mim, não importa se você não namorou, não noivou, não casou. O que importa é o que foi vivido. Se foi um mês incrível, que vai deixar muita saudade, então quer dizer que deu certo. As relações duram o tempo que elas têm que durar e a gente não precisa ficar insistindo em algo que acabou só porque tem medo de ficar sozinho ou porque tem medo de não encontrar outra pessoa. Sei lá, foge, vai fazer uma viagem, vai pra lugares que você nunca foi, vai pro mato, viva como eremita se preciso for! Não precisa sair procurando, mas precisa estar aberto. Aberto pra conhecer pessoas de todos os tipos, para dançar músicas que você só dançaria bêbado. É preciso estar aberto pra você e curtir sua própria companhia. Curtir todo o resto da vida que não é necessariamente namorar. Pode ser difícil perceber, mas o mundo está cheio de possibilidades e de coisas para serem feitas. É só ir atrás daquilo que você gosta de fazer!

A vida continua e vai ser incrível você namorando ou não. “A solidão é pretensão de quem fica escondido fazendo fita”. É legal escrever cartas de amor, dar uma de maluco, se desapaixonar e se apaixonar de novo. Não é todo mundo que casa, não é todo mundo que vai envelhecer junto, mas todo mundo alguma hora na vida vai se apaixonar e será correspondido. Quando isso acontecer, é bom que você esteja preparado, porque é uma felicidade das mais bonitas que eu já vivi. Bem diferente da felicidade de ser solteiro, mas as duas são igualmente valiosas. E sinceramente, acho que a gente só consegue ter um relacionamento pleno, depois de entender que não há problema nenhum em ficar sozinho. Ter um namorado pode até ser, em vários momentos, melhor do que estar solteiro. Mas pra que isso aconteça, é preciso ter a noção completa de que vocês são livres e que estão juntos porque querem, porque um adora o jeito do outro, ama as piadas sem graças do outro, não entende nada do outro, mas ama mesmo assim. Se for pra namorar, que seja de verdade, de coração, sem joguinhos, sem medo. E se for pra ser solteiro, também.

Feliz dia do amor em todas as formas, em várias formas e talvez até de forma alguma!

Deixe uma resposta

Alisson Eloi  /  Textos  /  Current Page